9 lugares imperdíveis em Dublin

Dublin

Foi depois de uma viagem para Dublin que eu descobri que eu posso aposentar as botas, estou mesmo ficando velha!

Velha mesmo é o adjetivo que uso para uma pessoa que independente da sua idade não tem mais pique e fica abismada com os “jovens” bêbados na rua! Afinal de contas, foi lá também que descobri que velhice é um estilo de vida ou talvez isso também possa ser representado pela nosso exterior, quando as rugas aparecem e a lei da gravidade mostra para o que veio. Pois depois de Dublin, eu tive a certeza que esse adjetivo nada tem a ver com a idade experiência que uma pessoa tem!

Dublin é um tapa na cara da sociedade para mostrar que não tem idade para beber (até cair talvez) e para se divertir, para se divertir basta estar vivo e com vontade de viver!

Dado a minha introdução, vamos aos 9 pontos que eu considerei imperdível! Pq 9 e não 10 ? Ah, leia e descubra 😉

Não poderia também iniciar esse post sem agradecer a São Pedro, pelos lindos dias que eles nos reservou na cidade onde sol é escasso!

1 – Guinness Storehouse

Uma coisa é certa, se você for para Dublin, você vai tomar uma Guinness. Ir para Dublin e não tomar Guinness é a mesma coisa que ir para Roma e não ver o Coliseu.

Se você não gosta, talvez precise iniciar a sua viagem pela Guinness Storehouse. Comigo foi exatamente assim, foi lá que eu aprendi a beber e perder o preconceito da “cerveja amarga e com gosto de café”. Depois disso foi só alegria e só queria saber dela em todos os Pubs.

A fábrica da Guinnes, como muitos chamam, não é uma fábrica é um museu!

Dublin
Dublin

Recomendo que você compre o seu ticket por aqui e evite filas, assim já agenda o horário da sua visita. Para você conhecer o espaço existem duas opções:

Standard

É a opção mais “básica”. Você terá acesso aos 7 andares do prédio e para começar você pode optar por pegar o áudio tour que tem opção em português.

Os dois primeiros andares são destinados a explicar como é a produção da cervejaria. Em seguida vamos mergulhar no mundo Guinness, conhecendo um pouco sobre a história da cervejaria e da família do fundador, e só depois uma viagem no tempo para conhecer ou relembrar os vários personagens que foram/são ícones da marca e as propagandas mais significantes.

Experiência é a palavra chave desse passeio. Poderá aprender como tirar a mais perfeita pint de Guinness e muito importante também, aprenderá a beber a cerveja amarga com gosto de café!

Na entrada do seu passeio você irá receber um ticket que te da direito a uma pint de Guinness. Você poderá escolher utiliza-lo em uns dos bares espalhados pelo prédio, ou para viver a experiência de tirar a mais perfeita pint da sua vida, assim que tira-la ela é toda sua e você já pode degusta-la.

Por fim, chegamos no último andar, onde fica o bar com vista 360 para toda a cidade. Recomendo que suba até lá para conhecer e ver a cidade, mas que não opte por comer por lá, pois é sempre o lugar mais cheio. Nós optamos por comer no Arthur’s, o pub que tem dentro do prédio e a comida era bem meia boca =x mas não tivemos saída pelo nosso horário x a fome.

A opção Standard vai te custar €18.00 por pessoa. Indico que reservem umas 2 horas para esse passeio!

Connoisseur Experience

Essa é uma experiência que recomendo para quem curte mesmo a cerveja!

O Chris (meu marido), que é fã quis fazer a experiência e adorei a ideia, pois ele poderia me contar para colocar no blog.

A experiência consiste em você provar 4 cervejas da marca, acompanhado de uma bela aula sobre cada uma delas.

  1. Guinness Draught – Essa é a Guinness que todo mundo conhece, embora seja a cerveja mais famosa da companhia ela é relativamente nova. Foi lançada em 1959 para comemorar o aniversário de 200 anos em que Arthur Guinness assinou o contrato de arrendamento de 9.000 anos.
  2. Guinness Original – Essa é uma cerveja com descendente direto da receita original.
  3. Dublin Porter – Uma cerveja histórica dos anos 1800 que foi reinterpretada com uma nova formula.
  4. Guinness Foreign Extra Stout – É uma cerveja feita para a exportação, já que original altera o sabor ao decorrer de longos trajetos.

Para essa experiência você irá pagar €48 (que já inclui a opção standerd). A experiência toda dura 1 hora e meia.

Connoisseur Experience - Guinnes - Dublin
Connoisseur Experience – Guinnes – Dublin

2 – Phoenix park

Assim que eu comecei a pesquisar sobre a cidade o que eu mais li foi: Vá ao Phoenix Park e veja os veadinhos!

Por isso a dica que eu te dou é: Vá ao Phoenix Park e veja os veadinhos!

O Phoenix Park abrange 707 hectares que o torna um dos maiores parques urbanos da Europa. Para efeito de comparação o Central Park (NY) tem 315 hectares e o Hyde Park (Londres) tem 142 hectares. O parque é tão grande que passamos bem longe de conseguir conhecer tudo, ou boa parte dele! Mas uma coisa é certa, você tem que caminhar até os veadinhos. =D

Dublin
Phoenix Park – Dublin

Assim como todos recomendam ver os bichinhos, todo mundo também recomendou alugar uma bike para desbravar o parque. Foi o que tentamos fazer, se a loja não estivesse fechada.

Não entendemos o por que, era uma quinta-feira 9:30 da manhã, entrei no site e não achei nenhum informação sobre os horários, mas o que eu posso dizer é que achei os preços bem alto – 1 hr – €5, 3 h – €10 e o dia todo – €15. A dica que eu dou é: alugue as bicicletas da cidade (inclusive tem um ponto bem próximo ao parque) onde o custo é de €5 por 3 dias.

Dublin
Phoenix Park – Dublin

Caminhamos praticamente sozinhos por uma hora, e finalmente avistamos os cerdos (veadinhos) descansado e visivelmente incomodados com os turistas que se aproximavam, não éramos em muitos e apenas queríamos bons registros daquele momento, conseguimos nos manter a uma distância que não os incomodássemos muito e era possível com a nossa lente de zoom tirar foto deles bem de pertinho!

Os bichinhos vivem por lá, aliás eles vivem lá antes mesmo do local se transformar em um parque público, o parque foi construído para eles.

O parque conta com vários pontos de interesse, inclusive uma zoológico para aqueles que gostam. Se tiver um dia bom (digo sem chuva) eu acho que meio dia para o parque é o ideal!

3 – Walking Tour

Free walking é sempre uma boa pedida e fizemos pela New Europe Tour.

Para quem não conhece como funciona –  o tour é free, pelo menos essa é a ideia e você paga o quanto acha que vale. Eu já utilizei esse “sistema” duas vezes e não me arrependo, peguei excelentes guias, não é por que é free que é meia boca, aliás os caras sabem do que eles estão falando. Foi assim que fizemos um tour de 3 horas com a Claudia (eu acho, não lembro o nome dela) uma espanhola muito da simpática, comunicativa e brincalhona!

Em média o pessoal paga de  €5 a €10 por pessoa.

Estou super fã desses tours, acho que é a melhor maneira de conhecer os principais pontos da cidade, de uma maneira simples, rápida e completa! Esse tipo de tour não inclui entrada em nenhum local, a ideia é que se você quiser entrar em algum dos pontos, volte mais tarde, mas pelo menos já tem um conhecimento sobre a história do local.

O tour sai todos os dias, turmas em espanhol e inglês.

Passamos pelos seguintes pontos (Perceba aqui que inclui 6 pontos em uma única categoria):

O tour acabou na Trinity e eu fiquei muito em dúvida de entrar ou não na biblioteca (já me arrependi). Para isso o custo era de  €11 “só” para entrar em uma biblioteca, meu marido logo soltou que ele trocava a entrada dele por Guinness e eu acabei optando por não entrar também. As fotos do local são incríveis e acho que quem é fã de livros, história pode ser super valido.

4 – St Stephen’s Green

Mais um parque imperdível da cidade, esse é pequeno e acolhedor e te permite de uma maneira bem rápida dar um giro pelo parque e fazer boas fotos.

Sempre gosto de passar em um café pegar algo e seguir para o parque mais próximo e ficar ali – tomando meu café tranquilamente. Enquanto observo o movimento dos locais que passam pelo parque correndo para ir ao trabalho, também  vejo mães com os seus filhos passeando e aproveitando o sol da manhã, os mais fofinhos são os vovôs se atualizando com os jornais e suas boinas para se proteger do sol.

O St Sthephen’s Green é perfeito para isso!

Dublin
St Stephen’s Green – Dublin
Dublin
St Stephen’s Green – Dublin

5 – Temple Bar

Diferente do que muitos pensam, Temple Bar não é um bar (aliás, ele é um bar), mas ele é um bairro também.

Um bairro cheio de bares pubs, um dos locais de maior movimento e circulação de turista, dia e noite! Os pubs abrem às 11:00 e fecham por volta das 1:30 da manhã ou seja, Dublin não tem frescura com horário de almoço/jantar. Quer comer cedo ou tarde, é só ir até o pub e fazer a sua escolha.

Uma coisa é importante, os pubs do Temple bar são considerados os pubs com os preços mais altos de Dublin, não é difícil imaginar o por que né ? Feito para turista! Aliás, o Pub – Temple Bar é o pub mais caro da cidade, dificilmente você vai encontrar um irlandês lá dentro. Enquanto a média de uma pint é de €6 no Temple Bar o valor varia e pode chegar a €8,5 se não mais (bolsa de valores agora ?) O valor varia de acordo com o movimento e horário, louco não ?

A grande maioria dos pubs oferecem música ao vivo a partir das 17:30 todos os dias ( isso no bairro do Temple Bar), é bom chegar cedo para garantir o seu lugar, seja em uma mesa ou no balcão, nós tentamos entrar por volta das 19:00 e tinha gente saindo pela janela, isso que tentamos em vários pubs diferente.

Vale a pena dar uma volta pelo bairro.

6 – The Celt Pub

Se o que você procura é um pub tradicional, The Celt Pub é o seu lugar. Foi a experiência mais incrível e louca  que eu tive na viagem.

Você é capaz de recordar a cena do Titanic, na qual a Rose foge para o lado “pobre” do navio para curtir uma noite com Jack ?

Por alguns minutos eu me vi no meio daquela comemoração, mas preferi não comemorar e só observar. Os homens tinham muita sede, eram canecas atrás de canecas, as mulheres simplesmente dançavam. Eram homens, mulheres, velhos e jovens acompanhando a banda em uma empolgação que hoje em dia em iria comparar com o carnaval de Salvador. Que comparação mais ridícula, nunca vi nada igual aquilo, foi contagiante. Quase peguei minha caneca de chopp e gritei: Viva ao nosso povo, mas me mantive calma só observando…

Meus olhos brilhavam com aquela festa, aquele povo e aquela música. Olhei para a frente e na minha mesa haviam duas senhoras, com a idade da minha avó talvez. Um pouco “espantadas”, mas não tanto quanto eu, afinal de contas certeza que elas já fizeram parte de alguma comemoração daquela rodando os seus vestidos longos pelo salão de festa e quase perdendo o ar de tão apertado que estava, tudo isso para definir as suas curvas.

Olhei para o lado ( Ah, estávamos em uma mesa compartilhada). Ao nosso lado dois casais com a idade dos meus pais. Esses não tão sóbrios quanto as senhoras, mas sóbrios o suficiente para puxar assunto com a gente e usar todas as palavras corretas sem enrolar. Perguntaram da onde eramos e em seguida soltaram: Só estamos falando inglês com vocês por que são estrangeiros, pois só falamos irlandês!

Clique aqui para ler mais curiosidades e dicas de transporte e restaurantes em Dublin

Sim, irlandês é uma língua para quem não sabe, é a língua oficial da Irlanda.

Eu jamais vou esquecer esse dia! Fiquei na dúvida se estava no Titanic, na época medieval comemorando a conquista de uma guerra ou em pleno séc XXI.

Veja o vídeo e talvez consiga entender do que eu estou falando.

7 – Comer Fish & Chips

Eu tinha uma expectativa muito grande para chegar em Dublin, enfiar o pé na jaca mantendo uma alimentação diária regada a fish & chips.

Não é de hoje que eu sou apaixonada por esse prato (infelizmente alface não me atrae tanto quanto um belo fish & chips), comi o primeiro e não saciou meu desejo (eu já esperava por isso). Ouvi da nossa guia a seguinte recomendação – Se quer comer um bom fish & chips você terá que sair de Dublin. Para a minha sorte, no dia seguinte nós tínhamos uma escapada marcada para a costa da Irlanda. Ufa,  lá sim matei toda a lombriga que existia dentro de mim com relação a essa prato tão típico!

Dublin
Fish & Chips – Dublin

Ah mas eu não tenho nenhuma escapada programada para fora de Dublin. Bom, nesse caso eu comeria em Dublin mesmo. Afinal de contas uma ida ao pub pede um fish & chips! Para aqueles que estão se questionando: O que esse prato tem d+ ? “NADA”. Peixe, batata e muita óleo (Bela Gil se ler esse post vai se contorcer toda). É verdade, o prato é pura gordura, peixe frito com batata frita, porem uma batata gordinha muito gostosa!

8 – Kilmainham Gaol

Kilmainham Goal é um museu que fica dentro de uma cadeia. Vamos colocar os pingos nos is, esse local não é um museu ele é uma cadeia desativada. Não existe nada lá dentro, além do que restou da cadeia e de muita história “pesada”.

Ao comprar o ticket você automaticamente já está inserido no tour. O local só funciona com horário marcado e como sempre, recomendo que você compre com antecedência pela internet. Os grupos enchem rápido e dificilmente conseguirá algo na hora.

O tour é todo inglês e não tem áudio guia, ou seja se o seu inglês não é bom o suficiente, não sei se é uma boa. O local não terá muita graça para aqueles que não conseguirem compreender a história.

Eu recomendo esse passeio se você tiver tempo em Dublin ou caso você goste dessa parte histórica! Entrar na cadeia e acompanhar as histórias que ali aconteceram é realmente interessante.

O ticket tem um valor de  €7, lembrando que esse valor já inclui o tour em inglês. Clique aqui para comprar.

9 – Samuel Beckett Bridge

Essa é só uma ponte! Mas é a ponte icônica de Dublin, em forma da harpa.

A perguntar que não quer calar: Quem copiou a harpa de quem ? a Guinness de Dublin ou Dublin da Guinnes ? Alguém sabe ? É como perguntar: Quem veio antes o ovo ou a galinha ?

Aí está a ponte, é super bonita e dizem que a noite é mais bonita e mais fotogênica.

Dublin
Samuel Beckett Bridge – Dublin

10 – St Patrick’s Cathedral e Christchurch Cathedral

Chegamos ao mistério do por que 9 e não 10!

Essas duas igrejas eu apenas passei na frente, mas são dois pontos importantes para a história de Dublin. Para quem gosta de igrejas, vi pelas fotos que são bonitas, elas tem um valor de €8 cada uma.

Ambas são consideradas Catedrais, porem muito se discuti sobre ter duas catedrais em uma cidade como Dublin. Existem rumores de que St Patrick’s não é uma catedral oficial. Então fica essa dica “torta”, se alguém quiser contar algo sobre elas nos comentários será bem vindo. 😉

Dicas e curiosidades de Dublin – Confira aqui

2 comments

    1. Olá Anna, eu gostei sim! Ela é exatamente assim, jovem e animada! Como você é das minhas, e adora conhecer a cultura como um todo eu recomendo que de um giro pelo país, fui apenas para uma cidade da costa e achei fantástica, voltei já pensando em uma próxima viagem só dedicada a rodar pela costa 😉

Deixe uma resposta