Intercâmbio com o seu irmão? Sim, Pq ?

E dessa vez o #Partiu não vem com a história de apenas uma pessoas, mas sim de duas! A Fê e o Bruninho se mandaram para o Canadá no auge do inverno para aprender inglês! Depois dessa, ninguém pode dar desculpa.

Não vou fazer spoiler, mas fiquem ligados no tipo de hospedagem que eles escolheram (Achei fantástico)

Por: Fernanda Camiña

Sempre que começo a contar minha experiência de intercâmbio no Canadá com meu irmão, escuto: “Nossa, mas intercâmbio com o irmão? Dá para aproveitar?”

A resposta é: Sim! E muito!

Canadá

Canadá

Em um dia totalmente comum nas férias de dezembro de 2011, meu pai me entregou, como uma oferta, um folder de uma agência de turismo para uma viagem de intercâmbio de um mês no Canadá. Eu já havia feito intercâmbio antes, para a França, e meus irmãos nunca. Então respondi ao meu pai que gostaria de ir se eu pudesse levar um dos meus irmãos junto comigo. E em uma semana, estava embarcando para o inverno de Toronto, Canadá, com meu irmão mais velho. Na época eu tinha 24 anos e ele 26 anos. O sentimento era de muita empolgação e frio na barriga.

Nós nos matriculamos em um curso de inglês, de segunda a sexta-feira, por um mês e meio. A estadia não poderia ser mais curiosa: nos hospedamos em um asilo!

Eu explico: Essa residência é localizada exatamente em frente à escola, e, por esse motivo, quando há algum quarto vago, eles alugam para alunos também. A nossa vivência nesse asilo fez parte de toda a experiência do intercâmbio. O clima era bom, as senhorinhas e os vovôzinhos na maioria das vezes estavam bem dispostos e adoravam ficar conversando no elevador. Como viviam sozinhos, parece que ficavam um pouco carentes, então nós sempre ficávamos batendo papo no hall. A estrutura era muito adequada à eles, tinha uma biblioteca, restaurante, e uma capelinha. Geralmente no inverno com aquele frio, os canadenses jantam mais cedo mesmo, mas particularmente nessa casa, eles jantavam em torno de 17h, no próprio prédio, e tinha até fila no elevador! Também vimos cenas tristes, mais de uma vez uma missa para um hóspede que já não estava mais lá. Como estávamos em um prédio com pessoas mais vulneráveis, aprendemos até o jeito certo de espirrar em público, o sleeve sneeze!

Ficávamos em uma quitinete pequena. Já aí começamos a perceber os desafios de morar juntos. Quem cozinha e quem lava a louça? Quem sujou limpa! Se organize melhor! Não se atrase!

Os primeiros dias foram de adaptação ao frio e caça a roupas quentes para aguentar os -10°C que fazia na rua. Passado o deslumbre da neve, precisávamos focar em aprender inglês, e escolher as matérias que estudaríamos.

Canadá
Toronto – Canadá

O curso acabava às 15h, e, a partir desse horário já estávamos liberados para curtir Toronto. Fazíamos tudo juntos, desde supermercado a ir patinar no gelo ou ir para balada. As tardes nunca eram paradas, todos os dias tínhamos alguma programação. Fomos assistir jogos de basquete, hóquei, patinar no gelo, conhecer Niagara Falls, andar nos túneis subterrâneos de Toronto, comer muito, e claro, shopping.

Canadá
Toronto – Canadá

O Canadá nunca tinha sido um destino que eu teria escolhido ir. Não via graça nesse país gelado. E foi o Canadá e o canadense que mais me surpreenderam. São pessoas com o coração enorme, muito receptivos, e sempre dispostos a ajudar. Várias vezes recebi ajuda de canadenses na rua, simplesmente por estar com um mapa na mão e cara de perdida. O “Oi, tudo bem?” em um comércio, nunca é da boca para fora, porque o canadense sempre quer saber se você está bem, se está gostando da estadia, se precisa de alguma coisa. O país praticamente não tem violência, as pessoas são honestas, o transporte funciona, tudo funciona! Ficamos maravilhados, e morrendo de vontade de voltar (e se possível no verão, rs).

Canadá
Toronto – Canadá

Depois desse intercâmbio, nos apaixonamos pelo Canadá, minha irmã também foi estudar lá em 2014, minha mãe foi visitar a host Family dela esse ano, e espero que consiga voltar um dia também!

Fiz amigos de muitas nacionalidades diferentes, o que com certeza enriqueceu muito toda a experiência. Aprender os costumes dos outros países, respeitar seus hábitos, cultura, foi muito interessante, e eu diria que vale tanto quanto a sala de aula. Até ofereceram alguns camelos por mim! Há dois anos um dos meus colegas de sala veio para o Brasil fazer intercâmbio em São Paulo, e o contato com vários deles continua.

Canadá
Toronto – Canadá

Fazer intercâmbio sempre envolve o famoso “vai ter de se virar”, e fazer isso com meu irmão não só tornou tudo mais fácil, como também aumentou o sentimento de cumplicidade entre nós. Hoje temos histórias juntos que nos ligam de maneira diferente. “Lembra aquele dia no Canadá?”, “lembra quando fomos ao Sports bar?” – essas frases nos aproximam e trazem lembranças muito boas. O frio que sentimos, passou. Se tivemos discussões, passaram também. Os quilos a mais, já sumiram. Mas, escrevendo esse post 4 anos depois, percebo que o que fica mesmo na lembrança não são as roupas compradas, os gadgets do free shop, mas as experiências, as risadas, e o mais importante (além do inglês, claro – quase me esqueci!), as novas amizades que fiz e aquela especial que fortaleci nesses 45 dias.

Canadá
Canadá

1 comment

Deixe uma resposta