Como você pode conhecer Madri em 48 horas

Vista para a fachada do Palácio Real de Madri

Madri é arte, cultura, gastronomia e natureza.

O que mais pode querer um viajante?  

Passear pela capital madrileña foi um misto de corrida contra ao tempo e também de liberdade de ir e vir, sem pressa e sem preocupação com ele: o relógio.

Tínhamos 12 horas de sol, mas também tínhamos temperaturas elevadas, eram 35° (Julho) brigando com a nossa vontade de flanar por uma cidade que deve ser conhecida a pé.

 

Garrafa d’água – Check

Boné – Check

Protetor solar – Check

Lencinhos umedecidos – Check                         

Agora sim: Madri se prepare que vamos lhe usar!

Dicas para o seu passeio em Madri

Compre todos os seus tickets pela internet, é super fácil fazer a compra online! Caso contrário, irá perder muito tempo nas filas, que são enormes e expostas a alta temperatura.

Madrid Card um cartão que você compra para passar 24, 48 ou 72 horas na cidade. Você vai pagar um preço fechado por ele e terá o direito de entrar em inúmeras atrações, são mais de 40 atrações que incluem no cartão, mais benefícios de restaurantes, shows noturnos e também transporte público.

New Madrid já ouviu falar do Free Walking Tour? É um tour com guia de graça! Você participa do tour (geralmente em espanhol e inglês) e no final paga o quanto você acha que valeu. Nós chegamos a fazer a reserva pelo site, mas infelizmente alteramos a rota e deixamos pra lá! É possível não fazer a reserva e chegar até o ponto de encontro e tentar na sorte, mas na alta temporada, recomendamos fazer a reserva.

Hotel x Transporte – Madri é uma cidade com um transporte público. Para fazer os principais pontos não é necessário pegar nenhum transporte se você estiver no centro. Ou seja, talvez seja vantajoso pegar um hotel um pouco mais próximo do centro, mesmo que seja um pouco mais caro. Segue a nossa dica:  Urban Sea Hotel Atocha 113

Segurança – Assim como toda cidade grande Madri é um lugar onde devemos ficar mais atentos, mas não se preocupem, quando falamos atentos é com questões de carteira no bolso, celular dando pinta, coisas do tipo, os velhos batedores de carteira!

Leia também: Road Trip por Portugal

Começar os dias tomando café da manhã no parque já está virando uma tradição nas minhas viagens. Se tem um parque na cidade é da padaria para o parque (cedo de preferência).

O relógio marcava 9:00 da manhã e nós já estávamos em um local estratégico para saborear o nosso sanduíche de jamon. No Parque Del Retiro, enquanto os mais atletas faziam os seus exercícios matinais e os mais tranquilos passeavam com os seus bichinhos de estimação, Carol e eu nós demos ao luxo de simplesmente observar o movimento, sentir o vento bater no rosto e degustar um puro e verdade jamón ibérico.

Concluído o agradável café da manhã ao ar livre, demos início ao nosso passeio pelo parque. Como não se encantar pelo Palácio de Cristal?  Uma antiga estufa que forma um harmonioso plano de fundo para o lago que é lar dos inúmeros patos, cisnes e gansos. Como você bem pode imaginar, a estrutura é toda de vidro (cristal), que hoje recebe exposições itinerantes de arte contemporânea.  

Vista para o Palácio de Cristal dentro do Parque Del Retiro na cidade de Madri
Palácio de Cristal – Parque Del Retiro – Madri

Com objetivo inicial de ser um espaço de lazer para a corte, o parque está repleto de belíssimos jardins e monumentos. Por isso dedique tempo para explorá-lo por completo.

Não esqueça de passar pelo Monumento a Afonso XII, a obra mais emblemática do parque. Para a sua execução foram envolvidos quarenta artistas, um projeto todo em bronze e mármore. E é daqui que você terá a melhor vista do parque, o lago.  

Vista para o Monumento a Afonso XII no parque del retiro na cidade de Madri
Monumento a Afonso XII – Parque Del Retiro – Madri

Leia também: 5 destinos clássicos que você tem que conhecer

Grandioso e além de patinhos o local também abriga inúmeros barquinhos a remo que se tornam o passeio mais romântico do dia para os enamorados, ou o mais divertido para as crianças.

O passeio pelo parque tomou boa parte da nossa manhã, seguimos então rumo a Porta do Sol. Centro da cidade e o marco zero da Espanha. Bom, não posso dizer que o local seja dos mais bonitos ou dos mais interessantes (minha opinião), mas é um local histórico da cidade.

A Porta do Sol é o antigo portão de acesso para a cidade, quando ainda Madri era uma cidade murada.  

A praça está rodeada de comércio, então se tem interesse de fazer umas comprinhas pela cidade, aproveite o momento. Se você ainda não conhece a loja de departamento, El Corte Inglés, essa é a sua oportunidade!

Talvez esteja na hora de fazer um lanchinho, lembre-se os espanhóis comem bem tarde. Tudo isso devido a siesta (descanso no meio da tarde). Aproveite que está no centro da cidade e prove o famoso churros com chocolate do Chocolatería San Ginés.

Chocolatería San Ginés loja mais famosa de Madri que vende churros com chocolate
Chocolatería San Ginés – Madri

Embora eu tenha me decepcionado um pouco com o atendimento e até mesmo com o produto final, é unânime a fama do local: O melhor churros de Madri!

Bom, foi o único que eu provei, mas não achei nada d+. Conhece algum outro local na cidade? Me conta!

Próxima parada: Plaza Mayor.

Leia também: Londres sem pressa 

Uma imponente praça toda cercada por prédios, são dez diferentes portões que dão acessos para o local. O que antigamente era um local de entretenimento, sendo inclusive espaço para as famosas e sangrentas touradas, hoje os turistas dominaram o espaço. Restaurantes na sua base, hotéis espalhados pelas centenas de sacadas viradas para o centro da praça e inúmeros vendedores ambulantes oferecendo: pau de selfie, refrescos e até mesmo personagens para estampar a sua foto.

Vista para a Plaza Mayor - Madri
Plaza Mayor – Madri

Infelizmente o local perdeu um pouco das sua essência.

No final do ano, ainda é possível aproveitar o tradicional mercado de Natal, que ocorre na Plaza Mayor desde 1860. Todo domingo pela manhã também acontece uma feira para colecionadores de selo e de moedas. Talvez os mercados são as opções mais próximas das suas origens. 

Indico que não almoce por aqui, o local pode ser muito atrativo, mas com certeza você estará caindo nas garras dos restaurantes turísticos. Resultado: Comida média por um preço alto.

Seguimos para o mercado, mas ainda o objetivo não era almoçar. Pelo mesmo motivo anterior, o Mercado de San Miguel é puramente turístico.

Uma linda estrutura de ferro que abriga inúmeras barracas de comidas: tapas, paellas e tudo o que você pode imaginar. Se quiser almoçar por aqui adianto: preços elevados por uma qualidade não tão boa, além da falta de estrutura para receber tantos turistas almoçando.

O Mercado San Miguel é um local muito turístico na cidade - Madri
Mercado San Miguel – Madri

Talvez brigar por uma cadeira seja o melhor termo, afinal de contas é isso que as pessoas fazem. Dizem que na hora da fome até o respeito vai embora, pois bem, aqui eu vi e presenciei isso acontecendo.

Leia Também: Uma viagem gastronômica por Lisboa

Tá com fome? Então seguimos para o bairro La Latina. Um daqueles bairros cool das metrópoles. Repleto de bares e restaurantes. Mesas que invadem as calçadas e também disputam por uma sombra no meio das inúmeras praças que formam esse agradável bairro madrilenho. Escolhemos pelo quesito: o mais bonitinho, e então ficamos com o La Musa. Embora as mesinhas externas fossem convidativas, o ar condicionado e a decoração interna chamaram mais atenção.  

Uma vez em Madri, eram os tapas que nós queríamos. Foi então que pedimos: croquetas de jamon, carrilera com setas e bomba. Pedimos no escuro, sem saber ao certo o que era cada um deles, mas ao chegar ao prato a mesa ganhou cor, vida e até trilha sonora: Hummmm…

A carrilera com setas era carne de porco com cogumelos. Ambos nadando em um molho que fez a nossa alegria ao receber uma cestinha de pão para finalizar o prato. Já a bomba  tratava-se de um escondidinho de carne moída. As croquetas são muito parecidas com o nosso croquete de carne, porém com uma massa diferente. Algum gourmet aí para explicar?

Provado e mais do que aprovado, pedimos uma nova rodada de croquetas e carrilera com setas.

Mas, como já dizia Cazuza: “o tempo não para…”

Caminhamos para a Catedral da cidade: Catedral de Almudena!

Catedral de Madri - Catedral de Almudena.
Catedral de Almudena – Madri

Uma grata surpresa, concluída no final do séc XX é perceptível que ela é mais nova do que muitas igrejas visitadas pela Europa. Foi uma das últimas catedrais construídas na Espanha.

Construída em diferentes etapas, hoje ela nos apresenta diferentes estilos arquitetônicos: neo-clássico no exterior, neo-gótico no interior e neo-romântico na cripta.

Leia também: Saint-Emilion é vinho e cultura

A única catedral espanhola consagrada por um Papa. O templo é dedicado à Virgem Maria, Nossa Senhora de Almudena, padroeira da cidade de Madri.

Logo na frente da Catedral encontra-se o Palácio Real.

Vista da Catedral para o Palácio Real de Madri
Palácio Real de Madri

Com as entradas em mãos (comprado com antecedência), “cortamos” a extensa fila que dava voltas do lado de fora.

O primeiro impacto se deu antes mesmo de conhecer o interior do Palácio. O seu exterior é belíssimo! As centenas sacadas decoram lindamente a fachada do Palácio Real. Na esperança de ver o rei dando um “tchauzinho” viemos a descobrir que os nobres não moram mais lá, o espaço hoje é dedicado apenas para eventos e encontros da realeza.

Vista do pátio para o Palácio Real de Madri
Palácio Real de Madri

Conhecer o seu interior foi como abrir um livro de contos infantis e se impressionar com a riqueza de detalhes e o luxo que cerca cada um dos aposentos.

A coleção de tapetes do Palácio Real de Madri é considerado a principal coleção de tapetes do mundo, onde muitos deles foram trazidos da cidade de Bruxelas, na Bélgica.

Uma das salas do Palácio Real de Madri
Palácio Real de Madri

Leia também: Vilarejos de conto de fadas? Alsácia – França

Outra importante coleção é a de Relógios, considerada a maior da Espanha, e uma das mais importantes da Europa. A coleção de Armaria da realeza espanhola, junto com a Armaria Imperial de Viena, são consideradas as mais importantes e valiosas do mundo. Por fim, a coleção de Estradivário (instrumentos de cordas) mais importante do mundo também se encontra dentro do Palácio Real de Madri.

Foi de perder o fôlego andar por todos os salões e admirar minuciosamente todos os detalhes que cada um deles carregava. Alguns salões ainda permanecem intactos, outros já passaram por reformas, mas não perderam os traços originais.

Interior do Palácio Real de Madri
Palácio Real de Madri

O dia já chegava ao fim, mas os dias mais longos do verão estavam ao nosso favor. Ainda com tempo para explorar mais um pouco da cidade, caminhamos para a parte de trás do Palácio.

Lá estava o Jardim Sabatini. Formando o ângulo perfeito para uma bela foto: O Palácio de fundo e o jardim em primeiro plano.

Com vista para os fundos do Palácio o Jardim Sabatini
Jardim Sabatini – Madri

O dia já chegava ao fim e optamos por finalizar ele no local onde dizem ter o mais belo pôr do sol de Madri: Templo Debod.

Ainda pouco explorado pelos turistas, o parque é muito frequentado pelos locais, que adoram descarregar as energias de um dia intenso de trabalho. 

O Templo foi um presente dos egípcios para a Espanha, uma vez que eles atenderam a um pedido da UNESCO para ajudar a salvar os Templos de Núbia.

Leia também: Museu de História Natural

O Egito presenteou quatro nações que colaboraram com o resgate de templos históricos com risco de desaparecimento. Estados Unidos (templos expostos no Metropolitan Museum em Nova York), Itália (templos expostos no Museu Egizio em Turim), Países Baixos (templos expostos no Museu de Antiguidade em Lleiden) e Espanha (templos expostos a céu aberto em Madri).

Templo Debod é um presente do Egito para a Espanha. Templos da cidade de Debod
Templo Debod – Madri

Como se fosse um quebra cabeça, os espanhóis levaram dois anos para montar o templo que chegou na cidade todo desmontado.

Para fechar o dia de um jeito bem espanhol, seguimos para a Casa Julio (recomendo que siga de táxi até o local).

Um bar que serve croquetas e cerveja artesanal. Tudo o que a gente precisava após um dia quente em Madri. Croquetas dos mais variados sabores, recomendo que prove a porção de croquetas mistas.

O espaço é bem pequeno e tem poucas mesas, chegue cedo se quiser sentar, se não for um incomodo ficar no balcão ou em pé, não se preocupe com o horário. O local enche de madrilenhos com sede de realizar um happy hour após o trabalho.  

Restaurante de croquetas - Casa Julio
Casa Julio – Madri

No dia seguinte acordamos cedo e adivinha onde tomamos o nosso café da manhã? Isso mesmo, voltamos para o parque, o nosso hotel estava muito próximo e não tinha opção melhor. 😉

Dedicamos o segundo e último dia na cidade para os museus, conhecido como: “Triângulo de Ouro de Arte de Madri”, o Museu Reina Sofia, Museu do Prado e o Museu Thyssem são os mais importantes da cidade. Mesmo sabendo que poderia ser cansativo (e foi) deixar três museus daquele porte para o mesmo dia, seguimos com a ideia adiante pensando na logística e no nosso tempo. 

Leia também: 9 lugares imperdíveis em Dublin

Começamos pelo Reina Sofia.

O museu de arte moderna da cidade de Madri - Reina Sofia
Museu Reina Sofia

Considerado um dos melhores e mais importantes museus de arte moderna da Europa o local conta com uma vasta coleção do séc XX.

As curiosas obras chamam atenção do público, e é considerado o Museu de arte mais visitado da Espanha, superando o Prado.

O edifício, que é um antigo hospital não nega as suas origens. Um espaço que cansa a vista, um branco monocromático que ganha vida apenas pelas obras expostas, muitas vezes enigmático.

Descobri que não sou uma apreciadora da arte contemporânea e tive dificuldades para admirar as obras (questão de gosto). Mas, diferente de mim, Carol que é uma grande apreciadora desse tipo de arte se deliciou. Caminhamos por todo o museu e enquanto ela tentava me explicar o que existia por trás de uma obra tão misteriosa eu fazia esforço para compreender os riscos e até mesmo o sentimento do artista ao realizar aquilo tudo.   

Foi difícil!

Mas, independe do meu gosto artístico segui para a sala principal do museu, onde estava exposta uma das principais obras de Picasso: Guernica.  

Para os amantes de arte e leitura saibam que nem só de quadros e esculturas vive o Reina Sofia, o museu também abriga uma biblioteca com mais de 100.000 livros todos voltados para o assunto: Arte. Caso tenha interesse, pode passar parte do seu dia aumentando o seu conhecimento com uma boa leitura.

Avançamos até o Museu do Prado, o mais importante museu de arte da Espanha e está entre os 10 mais importantes do mundo.

Leia também: A história de Sófia através dos seus templos religiosos – Bulgária

Fachada do Museu do Prado - Madri
Museu do Prado – Madri

O local foi construído com o objetivo de enriquecer o valor cultural da cidade de Madri, inicialmente com o projeto era para que fosse um edifício destinado a ciências. Antes mesmo que pudessem abrir as portas da nova Academia de História Natural, o país entrou em conflito com a França, passou pela Guerra da Independência e com isso o espaço foi utilizado para fins militares. Com o tempo o prédio foi se deteriorando e antes mesmo que chegasse às ruínas o rei recuperou o espaço e então começou o projeto para torná-lo em um Museu de Arte.  

Com certeza esse é mais o meu estilo, a própria arquitetura e organização dos espaços me atraíram mais. O local tem a maior exposição de arte espanhola, não é atoa que o lugar é considerado o mais importante do país.  

A obra mais importante que você pode encontrar é a tela: As meninas, obra do pintor Diego Valézquez.

O principal período para a pintura espanhola foi o Barroco, no Museu do Prado é possível encontrar exemplos de obras de praticamente todos os artistas e gêneros dessa época.

Sem contar a extensa exposição de obras do Goya, um dos artistas espanhóis mais relevante e um dos mestres da história da arte.  

Para finalizar e fechar o triângulo de ouro da arte finalizamos o dia no Museu Thyssen-Bornemisza.

O mais novo deles, a pinacoteca foi inaugurada em 1992, proveniente da mais valiosa coleção particular montada ao longo de sete décadas pela família Thyssen-Bornemisza. O local apresenta as suas obras em ordem cronológica, que vão desde a época do renascimento até obras do séc XX. A valiosa coleção reúne obras de artistas renomados como: Caravaggio, Rembrandt, Francisco de Goya, Renoir, Van Gogh, Cézanne, Picasso, Salvador Dalí entre outros artistas europeus.  

Leia também: 5 destinos românticos para você conhecer

Para aproveitar melhor os três museus em um único dia nós compramos o Art Ticket online e eliminamos boas horas de fila. Recomendo também que se tiver o interesse de visitar mais de um museu na cidade compre juntos, assim você paga mais barato.

Ainda que um pouco corrido e cansativo, Madri foi uma grata surpresa!

Banner do Passaporte com Pimenta para o Booking

4 comments

  1. Amei as dicas, estamos indo em julho e vou aproveitar bastante seu roteiro. Sou brasileira e sempre tive vontade de conhecer a Espanha, vamos também a Barcelona, tem dica

Deixe uma resposta