A montanha sagrada que abraça Barcelona – Montserrat

Montserrat

Barcelona é o tipo de destino que independente de quantos dias você fique na cidade você terá coisas novas para conhecer. Mas esse não é bem um post de Barcelona, e sim da sua vizinha: Montserrat, que pode ser visitada a partir de uma bate-volta da capital catalã.

A montanha sagrada, como é conhecida, é considerada a montanha mais importante e significativa para a Catalunha. Não é para menos, o local é uma verdadeira obra de arte. 

Ao seguir de carro até o destino, é impossível passar batido. De longe já avistamos uma montanha muito peculiar, com uma silhueta diferente, mexe com a nossa imaginação. Fazendo uma tradução ao pé da letra: monte serrado, é uma obra de arte da natureza. Formas que cada pessoas enxerga de um jeito. De um ângulo eu vejo bonecos, de outro eu vejo dedos, mas se você perguntar para outras pessoas, com certeza cada um dirá algo diferente.

Montserrat
Montserrat

Conforme vamos seguindo a estrada, rumo ao topo, não conseguimos mais enxergar a aparência maluca das rochas. Nesse momento concentramos nossa atenção para a paisagem. A cada nova curva, subimos mais um pouco e a nossa atenção é toda do cenário que se encontra praticamente aos nossos pés.

Aos pés do monastério, a vista é deslumbrante e ganha um concorrente, o próprio monastério. Um pouco perdido para onde olhar e o que admirar, dei tempo ao tempo. Segui até a grande sacada, com  vista para o horizonte, os arcos que ali estão, parecem emoldurar a paisagem.

Outra opção de bate-volta de Barcelona: Leia sobre Girona

Montserrat
Montserrat
Montserrat
Montserrat

Passado o momento de contemplação, me virei, lá estava ele: um pequeno pedaço do monastério de Montserrat. Um retiro dos Monges Beneditinos da região.

Montserrat
Montserrat

Segui admirando a sua construção. Ficou pequena quando contrastava com o seu plano de fundo: as formações rochosas. Todas moldadas como uma massinha na mão de uma criança. Entrei em um pátio. Prédio do lado direito e um outro do lado esquerdo, mas a única construção que me chamou a atenção, estava bem na minha frente.

Montserrat
Montserrat

Alta e coberta de tijolinhos, tem a sua parte central toda trabalhada. Nos faz relembrar a infância, quando brincávamos na praia de fazer castelinho gotejando a areia molhada no topo do castelo. Na parte inferior, encontramos jesus e seus doze apóstolos, esculpidos por mãos preciosas, das quais trabalharam em cada detalhe das colunas que dividem os apóstolos até as próprias esculturas sagradas. Se subir os olhos encontrará uma janela toda emoldurada, no mesmo nível de detalhamento e perfeição encontramos flores, anjos, colunas e arabescos. Talvez de longe não receba a atenção devida, se aproxime para apreciar os ricos detalhes dessa fachada. Ao topo, ainda emoldurado pelos mesmos ornamentos, um relógio e uma cruz.

Montserrat
Montserrat

Talvez o relógio esteja marcado o horário do coral infantil (verifique os horários do coral neste link). Um dos coros mais antigos da Europa, formado só por vozes de meninos, o coral teve início no século XIV e é emocionante assistir. Aqueles que aparentam serem apenas crianças, ao abrir a boca mostram-se gigantes e nos arrepia fazendo escorrer uma lágrima.

Gostaria de conhecer melhor a Catalunha? Que tal Congost de Mont-Rebei

Caso você não tenha a sorte de assistir à essa apresentação, não se preocupe, o monastério de Montserrat tem muito para oferecer.

O interior da basílica tem um pé direito alto e revela um tamanho que visto de fora é inimaginável. Com uma única nave central, ao entrar, minha atenção foi toda das pinturas que decoram as colunas e arcos desse templo religioso. Pinturas leves, com traços em dourado e prateado, conforme o seu olhar vai contornando toda a basílica chegamos ao altar, esse por sua vez não tem nada de leve. Um dourado forte, presente em todas as colunas, paredes e ornamentos.

Montserrat
Montserrat

Se você for uma pessoa atenta aos detalhes, irá notar que bem ao centro desse altar, existe uma janela onde pessoas passando o tempo todo chamam a atenção. O que teria escondido ali?   

Montserrat
Montserrat

A Virgem de Montserrat, popularmente conhecida como a Madona Negra, devido a cor escura de sua pele. Em 1881, a Virgem de Montserrat foi proclamada Padroeira da Catalunha pelo Papa Leão XIII. De estilo românico a Madona Negra é uma das virgens negras mais conhecida e reverenciada. O acesso até ela é feito pela lateral da igreja, além de ver de perto a virgem, conhecerá algumas capelas com belos vitrais.

Montserrat
Montserrat

Montserrat pode ser um passeio para o dia inteiro, além da parte sagrada o local conta com um museu de história com exposições dedicadas à montanha e ao monastério. Uma biblioteca com 300.000 títulos. Passeio até a gruta sagrada, local que deu início para tudo isso.

Se a vista ainda não foi suficiente é possível subir mais um pouco. Com o funicular de Sant Joan, a vista lá de cima deve ser maravilhosa e em dias de céu limpo é possível ver a Ilha de Mallorca. Mas, só a vista de todo o monastério mais as montanhas e suas formas esculpidas na pedra, já devem valer a pena!

Leia também: Siurana, entre os mais bonitos pueblos da Catalunha

Montserrat
Montserrat

O meu passeio ficou por conta apenas do monastério. Mas, prometo voltar um dia para contar sobre a experiência completa, se você já conhece, conte para a gente como foi. =D

Montserrat
Montserrat

A apenas 50 Km de Barcelona, você pode ir de carro ou de trem. Se você optou pelo trem, na estação: Plaça Catalunya (pela linha F5) você chegará em Montserrat facilmente. Dentro da estação de trem na Plaça Catalunya existe um centro de informações de Montserrat, ali você pode comprar o seu ticket de trem, como também pode avaliar as opções de passeios que existem por lá e já comprar tudo de uma única vez com desconto. Clique aqui e confira os preços e horários dos trens.

2 comments

  1. Que post sensacional, Mayte!
    Deu vontade de ir a Montserrat outra vez, e prestar atenção a todos os detalhes que me escaparam… Amei!
    Estou curtindo muito o blog. Quando eu me mudar, vai ser meu “blog de cabeceira”.

    Beijinhos!
    Bru.

Deixe uma resposta