São Francisco – Califórnia

São Francisco - Califórnia

Quando eu tinha uns 12 anos, fui para São Francisco com os meus pais. Sem achar muita graça, toda vez que alguém enaltecia a cidade eu torcia o nariz e pensava, não sei o que ele viu naquela cidade chata. Após muito ouvir sobre o local, decidi que eu precisava voltar para lá e dar mais uma chance para esse destino!

Agradeço por ter tido esse pensamento, a segunda vez foi diferente. São Francisco me ganhou e já pedi desculpas por ter falado mal dele no passado.

Marcando a metade da nossa road-trip pela Califórnia, a cidade grande veio para quebrar um pouco os cenários dos parques naturais que marcaram o início da nossa viagem.

São Francisco é o tipo de destino que você tem atrações suficientes se optar por 1, 2 dias ou mesmo uma semana. A nossa passagem por lá durou dois dias, o que na minha opinião é suficiente para conhecer os principais pontos da cidade.

Se você está acompanhando nossa viagem, você sabe que saímos do Yosemite Park rumo a cidade que hospeda uma das pontes mais famosas do planeta, A Golden Gate.

Confira como foi nossa passagem pelos parques nacionais:  Death Valley National ParkYosemite e Grand Canyon.

Assim que chegamos, fomos direto ao nosso hotel. Herbert Hotel, uma das melhores escolhas, já que não iríamos utilizar o carro na cidade e a localização deste é excelente: a um quarteirão da Union Square e ao longo da Linha do bondinho de Powell Street.

Malas no quarto, carro no estacionamento, tênis no pé, “bora” descobrir a cidade…

Dia 1

Como já havia passado quase que meio dia, entre chegar na cidade, ir para o hotel e, logo partimos para o badalado Pier 39.

Ao ler isso, talvez você rapidamente tenha associado esse local, com um lugar fedido com cheiro de peixe, sujo e cheio de embarcações recém chegadas com a pesca do dia.

Se você realmente pensou em tudo isso, você se enganou. O lugar não tem nada de fedido, a não ser o cheiro dos leões marinhos que ficam tomando sol por ali e se exibindo para os turistas. O local é uma espécie de shopping a céu aberto, com uma decoração 100% náutica, não era para menos.

O lugar é perfeito para almoçar ou jantar, bem estilo pega turista, mas impossível resistir. Talvez o lugar ideal para comprar o bom e velho souvenir, que você prometeu para a mãe, pai, primo, tio, avó e o coleguinha do trabalho.

Se você é do tipo que adora a loira ou a morena bem geladinha, eu tenho a dica – Beer 39, bem ao estilo bar / boteco arrumado, o local oferece uma ótima degustação de cervejas artesanais.

É no pier também que praticamente ao longo do dia todo você vai ver e ouvir as mais diversas atrações, da música a dança de rua.

O pier não é um lugar de passagem, apenas para conhecer, é o lugar que você deve ir para ficar e conhecer com calma, aproveitando o  clima.

É de lá que saem quase que todos os passeios de barco pela baía de São Francisco, incluindo o passeio para Alcatraz (não fiz o passeio). E é de lá, que as pessoas gostam de ficar admirando o ponto turístico mais famoso da cidade, a famosa Golden Gate.

Ainda passeando pelo complexo, existe um local que é o ponto de encontro dos leões marinhos da região! Talvez porque a prefeitura os alimente e assim os animais ficam posando para as fotos dos turistas. Eles são em muitos, e não me conformei quando vi que mesmo cheirando mal e fazendo um super barulho, eles conseguem atrair os turistas que ficam sentados em uma espécie de arquibancada admirando os bichões.

São Francisco
Pier 39 – São Francisco

 

 

Powell Mason
Powell Mason

Todo turista que se preze, tem que andar de Cable Car em São Francisco. Por sorte a saída do bondinho é ao lado do Pier, no mapas o ponto: Powel Mason.

A vantagem de pegar o bondinho no seu primeiro ponto é que você pode escolher onde você quer ir, claro se você não for o último da fila. E se você odeia chegar no

ônibus e não encontrar um lugar para fazer sua viagem sentado, no Cable Car será o oposto. Tudo o que você mais quer é ir pendurado do lado de fora, vivendo aquela experiência exatamente do jeito que ela tem que ser vivida.

 

Cable car - São Francisco
Cable car – São Francisco

Andar de Cable Car por São Francisco, pode ser muito mais do que turistar ou viver essa experiência. É viver uma aventura! São Francisco é uma montanha russa, sobre e desce e quando você opta pelo bondinho, a montanha russa se torna real. Por diversas vezes, achei que o bondinho não iria parar e que iriamos nos espatifar no cruzamento, mas não é que ele parou!

Se leu com a atenção o item onde eu contava do meu hotel, você vai se lembrar que ele fica na rota do Cable Car e por isso, nosso retorno do pier ficou molezinha e descemos em frente ao hotel.

São Francisco
Cable car – São Francisco

De volta ao hotel, fomos desbravar a vizinhança e andar pela Union Square. Diferente do nosso objetivo, que era gastar os dólares, a Union Square é o centro financeiro de San Francisco, o lugar onde mais roda  e se ganha dinheiro. É lá que estão localizadas as grandes empresas da cidade, assim como as grandes lojas como Macy’s, Luis Vitton, Dior e etc … como a minha carteira não estava tão recheada, entre esses três fiquei com a Macy’s mesmo, apenas para dar aquela voltinha básica que nenhuma mulher negaria.

São Francisco
Union Square – São Francisco

Descobrimos então que no último andar da Macy’s  havia nada mais nada menos que uma Cheesecake Factory, vocês acham mesmo que restou alguma dúvida da onde seria o nosso fim de noite ?

A vista lá de cima é estonteante, ainda mais se for a noite:  é possível ver toda a cidade iluminada. E se você ainda não conhece essa obra divina de Deus (ops do homem), você precisa conhecer. O local oferece comida e também os melhores cheesecakes do mundo.

Dia 2

O dia começou no parque! Para quem me acompanha por aqui, sabe o quanto eu adoro começar os meus dias no parque! Ainda mais quando temos espetáculos como é o Golden Gate Park no meio da cidade!

São Francisco
Golden Gate Park – São Francisco

O parque conta com 412 hectares e é constantemente comparado com  seu parceiro Central Park, o qual possui 20% a menos de tamanho, ou seja,  315 hectares. O tempo que você irá dedicar ao parque, varia muito do que você gosta de fazer. Eu gosto  de dedicar de 2 a 3 horas para esse tipo de atividade. Além de gostar muito de andar e descobrir os cantinhos do parque, eu gosto de ver como os locais se comportam nesse lugar, vivendo a sua vida normalmente!

Quando eu indico de duas a três horas para ficar no parque, estou falando do parque, andar, caminhar por ele. Mas é possível ficar muito mais se você tiver o interesse de visitar as várias atrações que existem lá dentro: de museu a jardim japonês. De uma olhada aqui em todas as atrações que o parque oferece.

Se você estiver por lá no outono, primavera ou verão é provável que consiga assistir um espetáculo no Music Concourse Área, uma praça  muito bonita onde o ponto principal é o Spreckels Temple of Music.

Spreckels Temple of Music - São Francisco
Spreckels Temple of Music – São Francisco

Saindo do parque fomos em direção a Golden Gate Bridge. Para isso, optamos em pegar o carro. Seguimos para a ponte e passamos bem devagarzinho para admirá-la, na medida do possível, já que a mesma faz parte de uma movimentada estrada que entra e sai da cidade. A vantagem de estar com um carro conversível, era que bastava olhar pra cima e ter ela todinha pra nós! Coitado do motorista que não podia perder a atenção.

São Francisco
São Francisco

Se você está saindo de São Francisco, assim que terminar a ponte tem uma saída para a sua direita, é um Point View! Como você deve imaginar, o local fica abarrotado de turistas e é difícil conseguir um bom clique seu + a ponte! Salva-se quem puder ou tenha paciência para conseguir a sua foto.  

A ponte pode ser atravessada de três maneiras, são elas: carro, bicicleta e a pé. É só escolher a melhor opção pra você e ser feliz. Cada uma  tem o seu espaço  delimitado, então bicicletas só são permitidas de um lado, assim como caminhada só são permitidas do outro.

Essa parada também serve de pausa para aqueles que optaram pelo exercício físico, ali também você vai encontrar um restaurante e bar.

Abaixo, o clique desse ponto. Não é dos melhores, mas foi o que eu consegui.

São Francisco
Golden Gate – São Francisco

Desse ponto, seguimos até Sausalito. Uma cidade vizinha, praticamente um bairro de São Francisco. Muitas pessoas recomendam essa cidade pelo seu charme, o que é verdade é bem bonitinha e, mas minhas expectativas eram muito altas baseadas no  que eu havia lido.

Por azar, pegamos um mal tempo nesse dia, então não deu para realmente passear pela cidade, compramos um lanche e guardamos para comer no lugar com a vista mais bonita da cidade de São Francisco.

Começamos a Road-Trip por Las Vegas: Confira aqui as dicas

Ao voltar de Sausalito para São Francisco, na última saída antes de entrar na ponte, há ali uma bonita estradinha que leva até o ponto alto da montanha, e de lá  há uma bela vista da Golden Gate, foi chuva de clique da ponte mais charmosinha.

São Francisco
Golden Gate – São Francisco

Partimos para a Lombard Street, a rua mais torta do mundo. É possível subir e descer essa rua a pé e para falar a verdade acredito que não faça muita diferença entre fazê-la de carro ou a pé, mas resolvemos fazer de carro. Uma rua com 8 curvas extremamente  fechadas.  É um tanto quanto engraçado passar por lá de carro: enquanto os turistas que optaram por faze-la a pé, ficam olhando e duvidando que o veículo  faça as  curvas.

São Francisco
Lombard Street – São Francisco

Gostamos tanto do Pier 39 que voltamos para finalizar nossa estadia por San Francisco, nenhum lugar fecharia melhor nossa estadia por lá do que aquele lugar.

Recomendo que você deixa para ir ao Pier no final do dia, ou se escolher jantar por lá, de preferência chegue antes do pôr do sol. Alí ao lado, existe um gramado, o Black Point, onde as pessoas sentam para assistir o pôr do sol, com um plano de fundo incrível: a Golden Gate. É a coisa mais linda e mais gostoso para finalizar o dia. Se ainda tiver sorte, com certeza terá alguém tocando um violãozinho no gramado.

É nesse momento, que você leva sua garrafa de vinho californiana ou cerveja (se que preferir),  faz um piquenique improvisado e brinda a essa ! E tem como um dia terminar melhor que isso ?

Acompanhe o resto da nossa viagem pela rota – Highway one

 

Deixe uma resposta