Le Havre: destruída pela Segunda Guerra Mundial e re-erguida por mestres da arquitetura, entre eles o nosso Oscar Niemeyer

O que fazer em Le Havre

Le Havre, a maior cidade da Normandia está localizada a 190 Km de Paris. Foi devastada na Segunda Guerra Mundial, reconstruída em 18 anos e se tornou a cidade mais moderna do velho continente. Em 2015 o centro da cidade conquistou o título de Patrimônio da Humanidade pela UNESCO. Além das curvas de Oscar Niemeyer, Le Havre tem outras fortes ligações com o Brasil.

Plano Urbano de Le Havre

Não poderia começar o post por outro tema que não o plano urbano. Entendê-lo pode fazer muita diferença para a sua experiência e pré-julgamento sobre uma cidade que ao primeiro olhar parece sem cor, sem curvas e sem movimento.

O que fazer em Le Havre

Ainda que a Primeira Guerra Mundial tenha deixado suas marcas em Le Havre, foi na Segunda Guerra Mundial que a população viu 85% do centro da cidade ser arruinada por inúmeros bombardeios.

A cidade francesa que mais foi destruída nesse período.

A necessidade de re-abrigar boa parte da população trouxe Auguste Perret como líder de um incrível plano de revitalização. Foram 18 anos anos para realocar cerca de dez mil famílias.

Perret fez questão de pensar nas pessoas que haviam perdido tudo e desenvolveu um plano milimetricamente estratégico e aconchegante.

Foram construídos 100 prédios, no estilo Classicismo Estrutural. Feitos de concreto, material que iria permitir agilidade na construção assim como um custo reduzido sem perder a qualidade. Hoje, as construções, fazem parte da identidade de Le Havre.

O que fazer em Le Havre

Conhecer o interior do apartamento de Perret está entre as atrações imperdíveis da cidade. É como voltar no tempo e sentir todo o cuidado que o arquiteto e sua equipe teve com uma população que só lhes restou a esperança do recomeço. A iluminação, o barulho, os ambientes integrados e até mesmo os móveis foram estudados para aquela situação visando sempre o conforto de um recomeço digno.

O que fazer em Le Havre

As visitas ao Apartamento Testemunha acontecem em pequenos grupos, acompanhados de uma guia, recomendo que faça a reserva pelo site.

O triangulo de Le Havre

A cidade perfeitamente planejada, conta com três pontos principais que serviram de orientação para as pessoas que perderam tudo, inclusive os laços familiares com a cidade natal, que estava em ruínas. Perret fez questão de manter estes pontos na mesma localização:

Hotel de Ville

A prefeitura, ganhou uma roupagem nova e mais moderna. Os traços retos do estilo classicismo estrutural não agradaram no início, mas pouco a pouco o local foi se transformando em uma imponente construção com direito a um campanário da onde você pode ter a melhor vista da cidade.

Mas isso só é possível se você estiver com um guia turístico credenciado, a entrada no local só é permitido por pessoas autorizadas. Mas adianto, é o melhor lugar para compreender a engenhosidade de Auguste Perret e também uma grande oportunidade de assistir um belo pôr do sol.

O que fazer em Le Havre

O que fazer em Le HavreIgreja Saint Joseph

Ao olhar de fora é difícil imaginar que esse prédio seja mesmo uma igreja, mas a cruz na porta confirma isso. Com 110 metros de altura, que sobem em um formato de farol é uma homenagem para a cidade que tem forte conexão com o mar. Quem chega em Le Havre pelo mar não nega que realmente seja um farol, já que a igreja é o primeiro elemento a surgir para os navegantes.

Cheia de simbolismo, descobri mais um. Confesso, esse último me tocou mais. A igreja de Saint Joseph também remete a uma vela. Que desta vez, faz uma homenagem aos que morreram na cidade, vela essa, que está sempre acesa pela cruz localizada no topo da torre.

 

Oceano Gate 

O que fazer em Le Havre
Catene de Containers

Por fim, na última ponta da cidade está o Oceano Gate. O arco do triunfo de Le Havre, situado no início da avenida Paris. A porta de entrada para a cidade, avenida que busca abrir amplas perspectivas entre a cidade e o mar.

Foi em  2017 que a cidade ganhou mais um monumento que tem tudo para ser mais um dos ícones de Le Havre – o Catene de Containers, chegou para comemorar os 500 anos da cidade e tem tudo para nunca mais sair de lá. Um monumento feito com containers vindos direto do porto de Le Havre, o segundo maior porto da França. Desafiando a lei da física, o monumento composto por objetos pesados e retilíneo, dá movimento e forma dois arcos onde o maior deles tem 29 metros de altura.

Oscar Niemeyer

Nem só de Auguste Perret vive a arquitetura de Le Havre, nosso Oscar Niemeyer também deixou sua assinatura na cidade. As Inconfundíveis formas do arquiteto estão fixadas no coração da cidade. Le Volcan, como é conhecido o prédio cultural que abriga o teatro da cidade. Logo ao lado encontramos o “vulcãozinho”, como é carinhosamente chamada a moderna biblioteca da cidade.

Perret e sua genialidade que me perdoem, mas foi a biblioteca que mais me surpreendeu. Oscar Niemeyer também pensou em tudo, até mesmo na forma que iria dar para a sua obra de arte vista de cima – uma pomba, símbolo da paz, para uma cidade que viveu tantos conflitos.

Peço desculpas também ao artista que era Oscar Niemeyer, mas fiquei surpreendida mesmo com o interior da biblioteca. Moderna, bonita, tecnológica, aconchegante e cheia de gente. Cheia de crianças, adultos, pais, mães, estudantes, senhores e senhoras, casais e até mesmo aqueles que ainda nem sabem ler. Eu fiquei impressionada, com a quantidade de gente usufruindo e aproveitando daquele espaço i-n-c-r-í-v-e-l

O que fazer em Le Havre

Sério, dedique um tempo do seu dia para entrar e conhecer a biblioteca.

Brasil em Le Havre

Eu disse que a conexão entre Brasil e Le Havre ia muito além de Oscar Niemeyer. Essa ligação tem tudo a ver com mar e o porto. Hoje a cidade é uma das principais portas de entrada do cafézinho brasileiro na terras do velho continente.

Ainda no mar, a conexão desta vez fica por conta do esporte náutico: a vela. A cidade é ponto de partida de uma das mais importantes regatas transatlânticas do mundo: a Transat Jacques Vabre, após alguns dias em alto mar o ponto final desta prova é na cidade de Salvador.

Não é atoa que existam tantos brasileiros morando por lá. 😉

Museu

Muma, Museu de Arte Moderna André Malraux é um dos principais museus quando o assunto é arte impressionista, ficando atrás apenas do Museu d’Orsay, em Paris. Localizando bem de frente para o mar, todo revestido por vidros, a sensação é de que estamos diante de uma enorme obra de arte.

Se estiver por lá no final da tarde, ainda tem a chance de apreciar a olho nú um verdadeiro céu impressionista. Dizem que lá, na Normandia, a mistura do rosa, azul bebê e até mesmo o laranja é onde você encontra o original céu impressionista. 😉

O que fazer em Le Havre

Onde Comer

Bom lembrar que toda e qualquer dica de restaurante na França vem acompanhada da dica “chave”: reserve com antecedência.

Lyonnais

Um restaurante extremamente local. Em uma ruela escondida, onde dentro só encontrei franceses. Fomos recepcionados pelo chefe, que passeava pelo salão bem na hora em que entramos, sem nos estender muito bem procurou nossa reserva e nos apontou a mesa. Com uma grande variedade de menus fechados, notei algo que estava em todos: peixe da casa! O asterisco e a legenda no rodapé do cardápio entregaram: prato típico da casa (só podia).

Não pensei duas vezes. Escolha perfeita para uma noite fria, o prato estava uma delícia. Peixe com creme e batata, servido em uma cumbuca extremamente quente recém saído do forno para fechar o prato, uma deliciosa camada de queijo gratinado.

A escolha foi muito feliz, assim como a entrada também estava divina. Ovo pochê com escarola, também gratinada. Para os amantes de queijo e comida cremosa, vá sem medo de ser feliz.

Le GrignotO que fazer em Le Havre

Um tradicional restaurante da cidade de Le Havre, localizado de frente para o Le Volcan. Já que falamos tanto da conexão entre a cidade e o mar, nada mais justo do que provar pratos frescos e bem locais. Noite dos frutos do mar.

Le Grignot eu indico se você tiver tempo e paciência. O restaurante é grande e o atendimento é lento. Mas se quer frutos do mar, dizem que esse é o melhor. 😉

Eu que sou fã assumida de mexilhões e também de roquefort dava pulos de alegria ao descobrir que o restaurante juntou dois produtos que são de outro planeta de tão deliciosos. Uma combinação um tanto quanto duvidosa mas que casou muito bem. Esteja preparado para comer muitos mexilhões, a porção é muito bem servida.

De entrada me arrisquei na lagosta, que por sorte e tutorial do marido não deixei voar na mesa do lado. Tarefa concluída com sucesso!

Onde Dormir

Hotel SPA Vent d’Oest – localizando dentro do plano urbano de Auguste Perret, o que significa que você estará hospedada dentro de uma tradicional casa de Le Havre. Uma vez que você está dentro do plano urbano, você está no centro da cidade. Indico deixar o carro no estacionamento e fazer tudo a pé.

O que fazer em Le Havre

Embora os quartos não sejam grandes, é extremamente aconchegante. Um café da manhã delicioso e que merece todo o meu respeito por me servir ovos mexidos em porções individuais e quentinhas. 😉

Normandia de carro

Le Havre foi uma grata surpresa. A cidade é perfeita para servir de base para alguns passeios na região como: Étretat, Palais Bénédictine e Honfleur. Aguarde posts completos de cada um desses destinos.

Antes de chegar em Le Havre passei dois dias explorando Rouen, que eu contei aqui: O que fazer em Rouen.

Nós visitamos Le Havre à convite da CC Hotels em parceria com a Oficina de Turismo de Le Havre.

3 comments

  1. Le Havre é tão linda! Lembro-me que na altura em que visitei a cidade todos os meus amigos Franceses me diziam que “não era nada de especial”, mas saí de lá apaixonada pela arquitectura e pelo charme da cidade!

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.