O que conhecer na região de Piemonte na Itália

A clássica paisagem de Piemonte

Era Novembro de 2017. Chris e eu escolhemos nada mais nada menos que a Itália para comemorar nosso aniversário de casamento. Não tinha opção melhor para a ocasião. Foram três dias percorrendo as cênicas estradas de Piemonte.

Acordávamos cedo, na ânsia de querer aproveitar cada minuto de luz do dia, mas na tranquilidade de querer curtir a região que criou o conceito de slow food, consequentemente slow travel.

Não tinha erro, chegávamos no café da manhã e logo éramos recepcionados com um agradável Buongiorno. No estilo mais Italiano possível a primeira dúvida do dia era: Cappuccino, expresso ou mocacchino? E da maneira mais prazerosa para iniciar mais um dia em Piemonte, sentávamos na mesa com vista para os vinhedos e entre um gole e outro do nosso café espiávamos a bela paisagem das videiras de Piemonte. Essas que nos cercavam por todos os lados.  

Ainda pela manhã colocavamos o carro na estrada e independente da nossa quilometragem rodada a paisagem não mudava. O mais engraçado disso tudo? Não me cansei um minuto sequer de contemplar tudo aquilo.

Parecia que eu estava vivendo em um filme de classificação romântica.

Um dos mirantes do Piemonte para admirar a bela paisagem das videiras
Piemonte

O carro ia serpenteando as montanhas. Às vezes sem rumo sem direção a gente se perdia pelas pequenas estradas de Piemonte. Algumas vezes com um destino apontado no GPS. Mas jamais, com horário limitando o nosso passeio. Íamos descobrindo a paisagem em doses homeopáticas, porque ainda que eu tenha dito que ela é sempre a mesma, a cada nova curva sempre nos deparávamos com uma surpresa.

Se estávamos embaixo, a sensação era como se uma onda estivesse nos engolindo. Olhávamos para cima e um muro de parreiras tão próximo dos nossos olhos que podíamos enxergar os últimos cachos de uvas que seriam colhidos para fazer o docinho vinho de colheita tardia.

Em algum vinhedo por Piemonte
Piemonte

Não precisava de muito tempo para estar em cima da montanha, que confesso que a vista é bem mais bonita. Aqui a sensação era completamente diferente, eu me sentia dona do mundo com aquela paisagem tão singular sobre os meus pés.

Assim como o mar, os vinhedos do Piemonte se perdem de vista e vão até onde a sua imaginação e seu coração permitir. Diferente de quando estamos lá em baixo, que conseguimos ver uma única cor, de cima se vê toda uma paleta de cores. Verde, amarelo, laranja, vermelho e por aí vai é o anúncio de que estamos no outono.

A paisagem de Piemonte.
Piemonte

Enquanto eu era a dona do mundo, com toda aquela beleza sobre o meu olhar eu entendi o motivo pelo qual eu não encontrei a rota perfeita descrita em qualquer site da internet. Porque simplesmente não existe! Qualquer rota seria perfeita!

Piemonte não reserva grandes atrações turísticas, porque a magia do lugar está exatamente nas estradas, na paisagem. Escolha alguma vinícolas, ou cantinas como eles chamam por lá, para realizar uma degustação do Barolo e o Barbaresco que são os principais vinhos que você irá encontrar por lá. O Barolo considerado um dos mais nobres vinhos da Itália.

A clássica paisagem de Piemonte
Piemonte

As degustações geralmente não são pagas, como o turismo de massa não invadiu esse pequeno pedaço da Itália o local ainda ainda é muito frequentado pelos apreciadores da bebida sagrada. A degustação é só o ponta pé inicial para você sair de lá com uma caixa de vinho.

As nossas escolhas foram:

Moccagatta

Um dos mirantes do Piemonte para admirar a bela paisagem das videiras
Piemonte

Essa foi a única que fizemos um tour, tudo isso porque nós solicitamos com antecedência. Um passeio exclusivo e muito rápido. A Moccagatta é um vinícola familiar que produz cerca de 65.000 garrafas de vinho por ano e oferecem 9 tipos de vinhos. Sim, degustamos todos eles e aproveitamos a exclusividade para bater um bom papo com a enóloga que nos ateneu.

Moccagatta foi nossa primeira vinícola no Piemonte, aproveitamos a oportunidade para começar a entender a região e os vinhos. Foi uma ótima experiência, com os vinhos e com o atendimento.

Montaribaldi

Degustação com vista na cantina Montaribaldi em Piemonte
Montaribaldi – Piemonte

Montaribaldi foi indicação do dono do nosso hotel, chegamos lá e logo fomos surpreendidos com o local da degustação: um deck sobre os vinhedos e a incansável vista de Piemonte. Muito gentil a atendente nos perguntou se havíamos feito reserva, com um sorrisinho maroto no rosto respondemos que não, então ela disse que poderíamos sim fazer a degustação, mas que infelizmente não seria possível fazer a degustação completa.

Degustação com vista na cantina Montaribaldi em Piemonte
Vista da Cantina Montaribaldi em Piemonte

Nos ofertou um menu, com  mais de 10 opções e deveríamos escolher alguns para a nossa degustação. Quem faz reserva degusta todas as opções e ainda recebe mais atenção de um dos atendentes. Mas foi excelente e se ela não tivesse mencionando isso nem iriamos perceber, de qualquer maneira indico a reserva.

Seghesio

Já havia lido a respeito dessa cantina e já havia feito uma reserva. A localização é bem complicada, ainda mais porque existem três vinícolas com o mesmo nome na região. Após muito rodar chegamos até o local, indico que coloque o endereço no GPS ao invés do nome da cantina.

Paramos o carro e a recompensa estava lá: a vista! Como sempre.

 

Rapidamente nos direcionaram para a sala e iniciamos nossa degustação, mais 6 tipos a essa altura já estávamos começamos a compreender o complexo e intenso sabor do nobre Barolo, já havia entendido que o meu paladar se identificou mais com o Barbera de Alba e assim eu estava me achando “a entendedora de vinho” a cada nova degustação.

Fontanafredda

Fontanafredda a maior vinícula que eu visitei em Piemonte
Fontanafredda – Piemonte

Fontanafredda é muito mais que uma cantina, tem um hotel, restaurante e uma megaloja de vinhos da própria vinícola e também oferece vinhos de outras. Mais uma vez chegamos sem reserva, o que não me pareceu um problema. A loja é realmente muito grande e por aqui é cada um por sí, procure aquele que você deseja degustar e peça para alguém.

Eu queria provar algo novo e então parti pelo Moscato. É um vinho de sobremesa, eu adoro. Moscato também é um tipo de vinho dessa região e como ainda não havia provado nenhum então fui por esse caminho. Até cerveja italiana encontramos nesta loja, vale muito a pena a passagem por aqui.

Além dos vinhos o local é muito bonito. Conta com um parque que pode ser explorado por conta própria.

Entre as vinícolas e as estradas também escolhemos algumas cidades para parar e explorar.

Neive

Entrada da cidade de Neive em Piemonte
Neive – Piemonte

Típico vilarejo italiano que seduz qualquer ser humano. Cruzar os arcos e caminhar sobre as ruas de pedra já seria uma serenata de amor, mas ainda o local te encanta com ruelas apertadinhas e casas coloridas.

Neive subiu no meu conceito quando me conquistou pelo estômago. O restaurante mais charmoso da cidade, com a folhagem de coloração vermelha que sobe toda a parede do local chama atenção de todos que passam por lá. Chamou a minha e vai chamar a sua, faça uma reserva do Aromatario para desfrutar de uma das melhores refeições da sua viagem.

Barolo

Ruela da cidade de Barolo em Piemonte
Barolo – Piemonte

O nobre Barolo é na verdade a denominação de origem do vinho, mas o que encontramos por aqui é a principal cidade dessa região. Que claro, não poderia ter outro nome: Barolo.

A cidade é sim uma graça, mas a verdade seja dita, existe apenas uma coisa interessante por aqui: Museu do Vinho. Se você chegou até aqui muito provável que você seja sim um apreciador da bebida e ainda que o seu conhecimento ou interesse seja muito pequeno recomendo que visite o museu.

Com uma abordagem muito leve e interessante, você realizará uma imersão no universo do vinho. Compreendemos o importante papel da natureza e do homem para que o produto final saia com qualidade. O vinho está presente na história, na cozinha, na arte, no cinema, na música e isso tudo é muito bem explorado no museu.

O local onde se encontra o museu é um antigo Castelo, de quebra você visita os aposentos do castelo e aprende um pouco mais sobre a história da família que lá viveu.

Museu do Vinho em Barolo em Piemonte
Barolo – Piemonte

Por fim o passeio não poderia terminar de outra maneira que não fosse com uma degustação de vinho Barolo. Finalizamos o passeio na Enoteca de Barolo.

Máquina de vinho daEnoteca Regional de Barolo - Piemonte
Enoteca Regional de Barolo – Piemonte

Barbaresco

Vista do pôr do sol na cidade de Barbaresco em Piemonte
Barbaresco – Piemonte

O tipo de cidade que é impossível se perder, com apenas uma rua a cidade de Barbaresco chama atenção pela sua enoteca. Entre tantas nessa região, porque uma iria chamar tanta atenção?

Pelo simples fato dela estar localizada dentro uma igreja! Já visitou uma dessa? Então aí está motivos pelo qual você tem que dar uma fugidinha até Barbaresco para conhecer a Enoteca Regionale de Barbaresco.

Dentro da Enoteca Regionale de Barbaresco em Piemonte
Enoteca Regionale de Barbaresco – Piemonte

Alba

Trufas brancas na feira de trufas em Alba no Piemonte
Feira de Trufas – Alba – Piemonte

Nós estivemos em Piemonte no final de Outubro que é quando acontece a famosa feira das trufas. A cidade de Alba é conhecida pelas trufas brancas, dizem que é uma das melhores do mundo. E lá estávamos nós no meio daquele evento todo, foi legal viver tudo aquilo, mas confesso que o evento atrapalhou um pouco o passeio pela cidade. Conheci super pouco da cidade.

O que eu levei de Alba foi o jantar inesquecível no Osteria dei Sognatori. Eles não recebem reserva e o Paulo, o dono é enfático: chegue às 19:00 e espera o restaurante abrir para você entrar. Um restaurante simples, com massa caseira e deliciosa.

Já falamos das cantinas, das cidades agora é a vez dos castelos. Isso mesmo, como se não bastasse tudo a região ainda esconde verdadeiras joias. Na verdade não esconde tão bem, afinal eles estão sempre no topo das montanhas enquadrando as mais belas fotos das vinhas mais o castelo. Digo que esconde porque nem sempre é tão fácil chegar até lá se você não sabe o nome do lugar para adicionar ao seu GPS.

Então aqui segue dois dos quais nós conhecemos:

Castello di Govone

Vista de entrada do Castello di Govone em Piemonte
Castello di Govone – Piemonte

Este castelo faz parte dos Castelos Reais da Família Savoia, e se você está pensando em adquirir o Royal Card (que eu contei aqui sobre ele) saiba que o Govone está incluso no pacote.

Antes mesmo de chegar no castelo eu sabia que algo muito pitoresco estava guardado no topo daquela colina. As ruas pequenas dos vilarejos nos obrigavam a fechar o retrovisor do carro para não raspá-los na parede. Curvinhas que revelavam verdadeiras casas de boneca. Estacionamos o carro e continuamos na caminhada, subimos alguns lances de escada e percebi que estava com toda a região de Piemonte sobre os meus pés (mais uma vez). Se não fosse a neblina típica dessa região o horizonte seria ainda mais bonito, mas não reclamo. A vista panorâmica parecia travar uma verdadeira duelo de belezas. De um lado um belo vilarejo com videiras ao fundo com cores do outono e do outro um Castelo Real diante de mim.

A clássica paisagem de Piemonte
Piemonte

A entrada no Castelo é permitida, mas cheguei no horário do almoço e por isso tive que me contentar com o seu exterior e admito: me contentei!

Castello di Grinzane Cavour

Vista para o deslumbrante Castello di Grinzane Cavour - Piemonte
Castello di Grinzane Cavour – Piemonte

O Castello di Ginzane não perde nada para o anterior, aliás a chegada até ele é ainda mais incrível. Não existe cidade nem vilarejo entre o castelo e as videiras, conforme vamos nos aproximando ele parece surgir e reinar entre as parreiras .

Lá do alto não poderia ser diferente: a mesma vista de sempre mas que sempre parece tão diferente.

É engraçado como a gente não se acostumar com essa paisagem e parece que toda vez que a gente se depara com esse espetáculo a gente perde o fôlego e consegue dizer todas as vezes como se fosse o primeiro contato com tal: NOSSA QUE LINDO!

Vista dos vinhedos de Piemonte do alto do Castelo di Grinzane Cavour em Piemonte
Castello di Grinzane Cavour – Piemonte

Como conhecer a região de Piemonte

Eu indico uma única maneira de conhecer essa região: de carro!

Não existe trem que passe por tudo isso e sinceramente fechar uma excursão para conhecer esse lugar seria um pecado. Você precisa de tempo, o seu tempo. Para parar quando e onde quiser.

Onde ficar na região de Piemonte

Não é difícil encontrar um hotel que tenha vista para a paisagem, afinal quase todos os hotéis estão rodeados por videiras. Fuja de se hospedar dentro dos vilarejos isso pode fazer com que você não tenha vista e pode dificultar muito a questão de estacionar o carro ao lado do seu hotel.

Piscina do Cai dei Curra - Piemonte
Cai dei Curra – Piemonte

Escolha um hotel rural e desfrute da paisagem do começo ao fim do seu dia. Eu escolhi o Cai dei Curra e não poderia ter sido mais feliz na minha escolha. O hotel tem apenas 8 quartos, todos com vista. O atendimento foi excelente, uma vez que é o próprio dono que nos atendeu do início ao fim da nossa estadia. Forneceu todas as dicas e respondeu todas as nossas perguntas.

No hotel Cai dei Curra no Piemonte a vista das videiras
Cai dei Curra – Piemonte

Nem vou entrar no quesito limpeza, pois isso é básico! Me senti em casa e muito acolhida.

Se é que é possível melhorar esse post, Piemonte tem um dos pores do sol mais belos que eu já vi na vida! Tive o privilégio de assistir dois dias a esse espetáculo que me fez perder o folêgo. Cansada de tirar foto, coloquei a câmera no automático para registrar aquele show a cada novo segundo.

Pôr do Sol assistido da piscina do nosso hotel em Piemonte
Cai dei Curra – Piemonte

A viagem foi inesquecível! Se você gostou dessas paisagens, com certeza também vai se encantar pelo Douro, em Portugal. Leia aqui sobre a nossa experiência por lá.

Nossa viagem continuou por Turim, acompanhe aqui o que fazer na cidade.

Salve esse post no Pinterest para ler mais tarde

Uma das mais nobres regiões vinícolas da Itália, é aqui que se produz o Barolo. Mas, o passeio vai muito além disso. Descubra o Piemonte.

8 comments

  1. Ai, ai… estou aqui suspirando de tanto amor por estas paragens – você tem toda razão, não dá para cansar – por este slow travel de filme classificação romântica e por toda essa degustação! Vocês acertaram muito na escolha da região para comemoração do aniversário de casamento. Perfeito!

    O que é a gastronomia daquele Aromatário?! Quero tudo isso já!!!!

    Me diga uma coisa: eu entendi direito?! Vocês fizeram todas estas maravilhosas degustações sem pagar nadica de nada?!

    Quando estive em Florença no café da manhã (incluído na diária) a atendente sempre me perguntava se eu queria expresso ou capuccino: como sou a pessoa mais indecisa do mundo e amo o café tirado na Itália, eu sempre bebia dois expressos e um capuccino. Apenas para começar o dia! rsrsrs bjuuusss

    1. Aninha, isso mesmo =D As degustações de vinho por lá não são pagas. Chegamos a provar mais de 5 vinhos em uma única cantina e o custo é basicamente o que você comprar. Difícil é sair de lá apenas com uma garrafa, mas se não quiser comprar nada você está no seu direito.

  2. Essas suas viagens no outono acabam comigo! Não existem cores mais bonitas!!! Você nao poderia ter escolhido lugar mais romântico para essa comemoração! Piemonte é pura poesia e eu viajei lindamente por essas curvas sinuosas com você!
    Olha, voce realizou um desejo meu antigo – e que espero concretizar um dia! Conhecer a região produtora do Barolo (tenho uma relação profunda com esse vinho, um dia quem sabe te conto? hehe). Quero muito estar aí um dia, espero que pra mais que uma visita *tenho um sonho talvez muito distante de trabalhar na colheita de uvas nessa regiao, por um tempo*. Sonhos de viajante, sabe?
    Ai, apaixonei nesse post <3 Quero guardar piemonte no meu pote de desejos!!

    1. Nossa sério? Que incrível!!!! Quero muito saber sobre a sua relação rsrs…até me arrepiei lendo o seu comentário e saber que o post tocou em um sonho tão doce como esse. O outono europeu também acaba comigo e me vira de cabeça pra baixo e me deixa sem palavras para descrevê-lo é puro amor.

  3. Admirável seu perfil! Seu olhar e descrição das experiências são perfeitos! Tenho essa mesma visão e com a mesma sensação da qual vc relata… e bem da verdade … só entende mt bem isso, quem se dá oportunidade de se entregar e enxergar com a alma! Esse ar e atmosfera purificam o ar que respiramos! Grande abraço e mts novas viagens para relatar 😉

  4. Mayte, boa noite!
    Alguém dirigia pra você? Sempre quis fazer esses passeios de carro mas por causa das degustações sempre opto por excursões. Parabéns pelo blog.
    Marcelo

    1. Olá Marcelo, primeiramente muito obrigada =D

      Meu marido quem dirigiu o tempo todo. Em todas as vinícolas que nós visitamos vimos muita gente de carro, me pareceu uma prática muito comum. Já fiz assim no Douro em Portugal e também no Chile, sempre com responsabilidade e a liberdade de ir e vir sem se preocupar com o grupo. =D

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

This site uses Akismet to reduce spam. Learn how your comment data is processed.