Conheça a região dos Lagos no Chile – de Puerto Montt a Frutillar

Um dia para dar a volta do lago Llanquihue, de Puerto Montt até Frutillar. Passando por lugares lindos.

O objetivo era explorar o extenso país chileno. Uma viagem de carro, que começamos pela região dos lagos, em Puerto Montt e o destino final era a capital: Santiago do Chile.

Na mesma viagem, 5 dias antes de aterrissar na Patagônia Chilena, nós exploramos o Deserto do Atacama. O Chile já tinha conquistado os nossos corações!

De Calama pegamos um voo para Puerto Varas (com conexão em Santiago), mas esse não seria o nosso destino final naquele dia. Pegamos um táxi até Puerto Montt (foram 22km) onde nos instalamos por duas noites.

Leia também: 5 dias no Atacama

Último mês do outono, as temperaturas já estavam baixas, uma delícia para os amantes do inverno (euzinha). Nossa opção de hospedagem foi uma cabana, com lareira, móveis de madeira e com vista para um bosque. Queríamos entrar no clima, queríamos também ter a opção de fazer as nossas refeições com produtos locais.

Bem ao estilo: onde vivem? O que comem?

Cabana Verde Nativo foi a nossa escolha, perfeito para quatro pessoas!

Acordamos cedo e fomos buscar o nosso carro no centro da cidade de Puerto Montt. Como de costume alugamos na Sixt, optamos por um carro grande e confortável, já que o passeio seria boa parte dentro do carro e com muitas mudanças de hotéis o que inclui o tira e põe de bagagens.

Nosso objetivo daquele dia era dar a volta no Lago Llanquihue, o segundo maior lago do país.

Foram 200 Km para contornar o Llanquihue, deslizamos pelas estradas que estavam envolvidas por túneis de folhagens. Quando as árvores davam uma trégua, era a imagem do lago que surgia na janela do carro.

Nossa primeira parada foi no Parque Petrohué. Se o norte do Chile (Deserto do Atacama) já tinha nos surpreendido o sul não estava decepcionando nas nossas primeiras horas de passeio.

Petrohué (ou Parque nacional Vicente Pérez Rosales) é o parque mais antigo do Chile e faz divisa com a Argentina. Não deixe se levar pela singela fachada do parque, dedique meio período para explorar o local. Se estiver de passagem no verão indico que reserve um dia inteiro para o passeio.

Leia também: Como organizar a sua viagem ao Deserto do Atacama

O ar puro de um parque que está repleto de áreas com mata virgem e coberto por árvores nativas, foi nos revelando sua beleza pouco a pouco.  Conforme caminhávamos pelas indicações das trilhas íamos desvendando a sua real identidade e toda a sua grandiosidade.  

Um dia para dar a volta do lago Llanquihue, de Puerto Montt até Frutillar. Passando por lugares lindos.
Parque Petrohué

Na primeira bifurcação pegamos para o lado esquerdo, as placas indicavam: Vulcão Osorno, muito conhecido por lá. Se tornou o protagonista daquela paisagem.

Considerado por muitos geólogos o vulcão mais perfeito do mundo. Pela sua forma, cor e textura, é conhecido também por sua semelhança ao Monte Fuji, no Japão.

Mas se ele é o protagonista, com certeza é o vilão dessa estória. Osorno é considerado o vulcão mais ativo dos Andes do sul do Chile, com onze erupções históricas. Fique tranquilo, hoje está adormecido e sua última explosão se deu a mais de cem anos atrás.

Um dia para dar a volta do lago Llanquihue, de Puerto Montt até Frutillar. Passando por lugares lindos.
Parque Petrohué – Vulcão Osorno

Uma passarela foi montada sobre o rio Petrohué para você simplesmente caminhar e admirá-lo. Mas esse cenário tem mais um protagonista, o rio, que corre com força pelas pedras que entram no meio do seu caminho.

Um dia para dar a volta do lago Llanquihue, de Puerto Montt até Frutillar. Passando por lugares lindos.
Parque Petrohué

Os mais corajosos encaram os esportes radicais e descem correnteza abaixo, nós apenas ficamos para apreciá-lo. A admirável coloração verde esmeralda das águas que correm entre a floresta e as pedras é o cenário perfeito de paz e equilíbrio.  

Um dia para dar a volta do lago Llanquihue, de Puerto Montt até Frutillar. Passando por lugares lindos.
Parque Petrohué

Continuamos nossa trajeto pelo caminho sinalizado, trilhas de fácil acesso nós guiavam cada vez mais para dentro do parque. O silêncio e o sossego do local nos acompanharam ao longo daquela manhã agradável, repleta de descobertas por novas paisagens. Do jeito que a gente gosta. 😉

Leia também: 5 destinos para conhecer fora de Santiago

Saímos do parque e pegamos estrada rumo ao Vulcão Osorno. Uma sinuosa estrada que aos poucos foi nos revelando a grandiosidade do Lago Llanquihue, quando a gente se deu conta estávamos na base do vulcão com um panorama impressionante.

Hoje o vulcão se transformou na Estação de Esqui de Osorno, como não era a proposta da nossa viagem, aproveitamos a vista e o vulcão coberto de gelo para aquecer o corpo com delicioso chocolate quente.

Nossa última parada do dia foi na charmosa e pitoresca cidade de Frutillar, a cidade da música!

Ficou muito claro o motivo do seu apelido assim que estacionamos o carro. Abrimos as portas ao som de uma gaita de fole, demoramos para identificar da onde vinha, até avistar o deck que avançava o Lago Llanquihue. Com sua estrutura de madeira toda sedutora, uma cobertura muito peculiar, enxergamos ao fundo o músico que fazia aquele momento especial ganhar uma adorável trilha sonora.

Um dia para dar a volta do lago Llanquihue, de Puerto Montt até Frutillar. Passando por lugares lindos.
Frutillar

Mas não foi esse instrumento que apelidou Frutillar. A cidade conta com um Teatro, que é considerado o maior do país e o melhor teatro acústico da América do Sul, o espaço foi construído para receber a Semana Musical de Frutillar, que no ano de 2018 completará sua 50a edição.

 Um dia para dar a volta do lago Llanquihue, de Puerto Montt até Frutillar. Passando por lugares lindos.
Teatro de Frutillar

Leia também:Inverno em Valle Nevado – Chile 

A música está espalhada por todos os cantos da cidade. Conforme vamos caminhando pela beira do lago as notas musicais nos acompanham, seja pelo artista expressando a sua arte em tempo real em alto e bom som, ou pelo artista que criou esculturas com notas musicais espalhadas pelo jardim..

A pequenina cidade de Frutillar, fundada por imigrantes alemães, carrega traços dos europeus por todos os cantos. As casinhas de madeira me remeteram a um sonho de infância: ter uma casinha de boneca no meu jardim. Todas visivelmente bem cuidadas por mãos de fadas, que regam, cuidam e até proseiam com suas flores e floreiras que enfeitam as fachadas.

Mas as influências alemãs não param por aí. Kuchen, que é um doce típico da Alemanha, se tornou o bolo (ou torta) tradicional da cidade de Frutillar.

Sem indicação alguma chegamos até o Duendes del Lago. A experiência não poderia ser melhor, não titubeamos e fomos direto ao ponto: Kuchen e um chocolate quente para esquentar!

O aconchegante café tinha pelo menos umas cinco opções de Kuchens e um cardápio inteiro só para cafés. Para os apreciadores da bebida, fica a dica do local.

Um dia para dar a volta do lago Llanquihue, de Puerto Montt até Frutillar. Passando por lugares lindos.
Kuchen

O doce virou nosso almoço, às 16:00 da tarde!

Caso queira se aprofundar na história entre Alemanha e Frutillar, vá até o Museu Colonial Alemão.

Nos restou apenas energia para passar no supermercado em Puerto Montt, abrir um vinho e nos esquentar ao lado da lareira.

Nós não dedicamos muito tempo para a cidade de Puerto Montt, mas no verão é uma cidade recheada de atividades náutica e é também a cidade onde inicia a rota para a Patagônia Chilena.

Dê um PIN no post de Puerto Montt para ler mais tarde

Um dia para dar a volta do lago Llanquihue, de Puerto Montt até Frutillar. Passando por lugares lindos.

Banner do Passaporte com Pimenta para o Booking

14 comments

  1. que lindas paisagens, Maytê! Eu ainda conheço tão pouco do Chile, mas o pouco que conheço amo profundamente! Tenho certeza que esse será mais um lugar que vai ganhar meu coração, com a imersao no verde, e com a beleza dos lagos. Só consigo imaginar o calor da lareira, um copo de café e a vista da janela! Sonho puro!

    1. Klécia, já vejo você se aventurando no parque! Para quem ama a natureza e aventura não tem erro, mas acho que vai ter que trocar o calor da lareira pelo refresco das águas do rio e do lado. =D

      O Chile tá lá, um pouco escondido entre as cordilheiras e o oceano, mas eita país bonito! rsrs da vontade de conhecer ele de ponta a ponta em uma única viagem e ver as paisagens se transformando.

    1. Ana, é realmente uma região encantadora! Deliciosa, longe da massificação turística, paisagens deslumbrantes e pessoas acolhedoras (do jeito que a gente gosta). Meu sonho é conhecer a Patagônia, aí sim terei visitado o sul do Chile todo, volto para contar. 😉

  2. Não sei o que gostei mais, do vulcão (tem razão quem o acha perfeito), do rio, do deck sobre o Lago Llanquihue? Que lugar cinematográfico. Vocês se embrenharam mesmo no espírito do lugar. Parabéns!

  3. Oi Maytê!! Já estive em Puerto Montt e Puerto Varas, mas foi algo muito rápido. Fiquei de voltar e acho que isso acontecerá em breve, para participar de uma corrida bem pertinho do Osorno!!! Ao ler seu post, tive a certeza de que tenho mesmo que ir correr nessa região!!! Parabéns pelo post!!! Abraços,
    Carolina

  4. Amei este post! Que fotos lindas!!!!!
    Quando comprei passagens para o Chile no ano passado, sonhava em descer até Puerto Montt…. Depois caiu a ficha que seria impossìvel fazer isso da forma como pretendìamos (calmamente).
    Teu post me deixou com mais vontade de conhecer esse local, principalmente o Parque Petrohué. Mas assim como vocês, eu não encararia nenhum esporte radical!
    hahahahaha

Deixe uma resposta