Um dia em La Paz, a cidade da fúria

La Paz foi uma parada obrigatória na nossa viagem, mas também uma desculpa para provar todo isso que imaginávamos sem conhecer. Depois de ficar maravilhados com as incríveis paisagens do deserto, fica aquela sensação de saudade de transito e até de alguns concretos, mas La Paz, é o excesso de tudo isso. É a perfeição do caos.

 

Depois de passar mais de 7 horas atravessando Bolívia do sul ao norte, num ônibus desde Uyuni até a capital, lutando para não atrapalhar meu sono com a musica do motorista e dos buracos de uma estrada sem pavimentação, começa a amanhecer e a luz de um dia cinza revela através da janela uma cidade caótica e antiga, de casinhas de tijolo e ruas bagunçadas. Uma Cidade fria, rodeada de montanhas e abismos. Uma sensação de frio e enjoo por causa da altitude que te diz: Bem vindo a La Paz.

Leia aqui sobre a nossa travessia pelo maior deserto de sal do mundo: Deserto de Uyuni

A entrada principal para a capital de Bolívia por terra é por El Alto, uma cidade que faz parte da área metropolitana de La Paz, com 4.070 metros de altura o que a converte numa das cidades povoadas mais altas do mundo.

Uma vez o ônibus chegou na rodoviária, mesmo que em um dia cinzento, as cores de uma cidade única te vão a chamar atenção e vão te convidar para  fazer parte dessa bagunça, mesmo se não quiser. Então você, que é fã de aventuras sobe num velho táxi e começa a competição para esquivar motos e pequenos ônibus de transporte público, pedestres, cachorrinhos e tudo mais.

la_paz_02
Centro de La Paz, Bolívia

Se você está viajando de mochilão por terra, querendo ir para Uyuni, Titicaca, Perú ou qualquer  outro lugar onde La Paz é uma parada obrigatória. Deixo aqui algumas dicas para fazer a sua viagem um pouquinho mais fácil e interessante!

Transporte até La Paz: Escolha um meio de transporte bom. Muitas vezes a gente pega ônibus locais que são mais baratos mas a experiência passa da linha de aventura para um perigo. Ou seja, estou falando de ônibus sem calefação, onde você pode facilmente passar o pior frio da sua vida, passar toda a viagem em uma poltrona super desconfortável, sentir cheiros diferentes, correr o risco de que ônibus quebre e muitas paradas além da falta de segurança, pois as condições das estradas até La Paz são terríveis, e ninguém quer cair num abismo na cordilheira dos Andes pela imprudência de um motorista irresponsável.

Turismo na cidade: Se não está planejando fazer turismo fora de La Paz  (destinos como El camino de la muerte em bicicleta ou subir alguma montanha da Cordillera Real) mas sim conhecer os pontos mais importantes da cidade, a melhor atração sem duvida alguma será o MiTeleférico: Moderno sistema de transporte público que conecta a planície com os pontos mais altos da região.

No nosso caso, como somente tínhamos um dia na cidade, pensamos em visitar os principais pontos de La Paz, e graças as recomendações da recepcionista do hotel, fomos dar um passeio pelo MiTeleférico. Agora, pense numa cidade onde a principal atracão turística é um meio de transporte público, pois é…essa é La Paz.

Depois de subir uns 10 minutos caminhando chegamos na estação de cor vermelho (La Línea Roja), o valor do ticket comparado com reais brasileiros era muito barato (uns 3 bolivianos) e subimos numa moderna capsula com paredes de vidro que dava para ver perfeitamente todas aquelas montanhas cobertas por camadas de tijolos amontoados, onde as vezes fica difícil pensar nas muitas pessoas que moram nesse lugar. Se você tem medo de altura, se prepare porque nos dias de muito vento o teleférico se move bastante, mas para falar verdade é até divertido!

la_paz_04
MíTeleférico, La Paz

Se você não quer sentir sua vida em perigo, nunca – mas nunca – desça do MiTeléferico; lá em cima. Você pode sentir medo de altura, pode até se perguntar o que acontece se o sistema ficar sem energia ou se romper uma corda, mas mesmo assim é bem melhor do que descer e caminhar em El Alto. Eu, junto com o meu namorado, fizemos isso e não recomendamos nem um pouco. Lá em cima é igual de bagunçado do que no centro, porém pessoas locais que nos viram caminhando por essa região nos alertaram para que saíssemos daí o mais rápido possível, pois não era um lugar muito seguro. Nesse momento sentimos muito medo e saímos correndo rapidamente ao teleférico que nos levou para o centro de La Paz – parte baixa.

Ficar no centro. O bom de ficar hospedado no centro é que dá para caminhar até os pontos mais bonitos da cidade, como Basílica de San Francisco, La Calle de las Brujas, o Palacio de Govierno e a Plaza Murillo. Eu gosto muito de artesanato, então adoro aquelas lojinhas coloridas onde vendem de tudo o mais típico do lugar, mas confesso que em La Paz é um pouco assustador pois, eles, segundo suas crenças e tradições Aymara, vendem muitos produtos de feitiçaria, como ervas curativas, amuletos de proteção de espíritos e o mais forte para mim, foram os fetos de lhama, usados popularmente para proteger as casas, que ficam exibidos na rua como uma coisa normal. Confesso que foi chocante, tanto que nossa passagem pela Rua das Bruxas, foi super rápida e não tenho muita vontade de voltar.

la_paz_06
Calle de las Brujas, La Paz

Para a comer, se esqueça de McDonalds ou Burguer King. Não gosto muito de falar da política de outros países, mas acho que por causa do perfil do governo atual, as grandes redes de fast-food ainda não conquistaram La Paz, e muito menos a Bolívia. Então se prefere algo mais conhecido tem o Subway, mas se quer se arriscar numa aventura gastronômica, cuidado para não estragar a viagem com alguma intoxicação alimentar.

la_paz_06
Plaza Murillo,  La Paz

La Paz me surpreendeu muito, pois a imagem que eu tinha da cidade na minha imaginação foi exatamente a que eu acabei encontrando. Não tive nenhum paradigma quebrado pois era tudo tal qual eu tinha desenhado em minha cabeça. Se tivesse que descrever com uma palavra talvez a chamaria a cidade da Fúria!

A nossa viagem continuou por: Lago TiticacaPunoCuscoValle Sagrado e Machu Picchu

2 comments

  1. uau, Mayte. Eu nao vou negar que estou ansiosa demais por essa viagem, especialmente por todos esses relatos tensos que esbarro vez ou outra. Eu normalmente tento ir para os lugares com o menos de expectativa, e limpa de imagens ruins, mas confesso que a Bolivia vai ser a maior superação da minha quebra de paradigmas. Exatamente porque todo mundo me garante que não haverá nenhuma quebra de paradigmas rs.
    Eu realmente espero que eu vá de coracao aberto, com cuidado mas sem medo. E espero que a Bolívia seja gentil para mim, e que eu retribua da mesma forma!

    1. Klécia, eu tbm tento não criar muitas expectativas de uma cidade e acredito que ainda que seja um destino com muitos relatos negativos você irá se surpreender e vai conseguir tirar alguma coisa boa que ninguém viu.

      Com o tempo tenho aprendido que não existe um destino ruim é apenas saber trocar o nosso olhar e conhecendo os seus relatos, acho que você vai tirar isso de letra. Bolívia será gentil com você com certeza. 😉

Deixe uma resposta